sexta-feira, 10 de novembro de 2006

Minha mãe meu tesouro = doce vóvó

Hoje há festa no Jardim-de-infância do meu menino: de manhã a feirinha da castanha assada e das compotas, e o sorteio dos Cabazes.
Á tarde o teatrinho feito pelos meninos e a atribuição de padrinhos e afilhados.
Todas as famílias receberam convite para estarem presentes.
Para mim, mais uma vez ficam as imagens em papel fotográfico e em vídeo.
Talvez no fim do ano tenha também o DVD.

A menina Ana Margarida não levou ninguém.
Foi a única menina cujo convite não teve aceitação.
Porquê?
A mãe: teve que ir trabalhar (mais uma)
O pai: teve que ir dormir porque à noite vai fazer pão (é padeiro)
O avô: teve que ir para "os reformados" (tipo clube onde jogam ás cartas e bebem café)
A avó: tinha muito que fazer

Ás vezes não entendo, os reformados estão "abertos" todos os dias.
Muito que fazer... uma avó que não trabalha fora não pode adiar umas horitas?
Dormir... quantas vezes não se perdem algumas horas de sono por um bom filme ou para fazer amor?

Vendo "a coisa" friamente, os miúdos com três, quatro e cinco anos não tem tacto nenhum para representar, a educadora tem que estar a segredar algumas falas e a orientar.
Mas tudo é lindo e o público ri imenso.
São as nossas crianças, bolas!
E sentem-se tão importantes a representar as suas personagens.
E nós com tanto orgulho!

O meu menino ainda choramingou ( e o meu coração desfez-se) porque "ningueim quéi ii á mina féta e a vóvo tá ocupada". "A mamã vai meu amor, vai um bocadinho mas a vóvó fica a tirar fotografias prá mamã ver".

O meu almoço hoje foi 6 ou 7 castanhas assadas.
Eu também tinha de almoçar mas... cada um estabelece as suas prioridades.
A avó esteve ocupada três dias a fazer compotas e hoje de manhã a vender castanhas - na escolinha dele.
Esta vóvó também tem muito que fazer mas está sempre disponível. Sempre esteve.
Dado o pouco tempo que estive, para não destabilizar fiquei atrás do palco e depois vi da janela.

O meu menino que choramingou por não ter ninguém, tinha uma vóvó sorridente na plateia fotografando e filmando.
A Ana Margarida não choramingou. Mas não acredito que o seu coraçãozinho de menina não tenha ficado triste.
E talvez seja um momento importante para mais tarde recordar... com mágoa... ou sem.

2 Comments:

Blogger mãe tataruga said...

Realmente há pessoas para quem tudo está em primeiro lugar menos fazer feliz uma criança:(.... e os pequeninos são tão faceis de contentar....

10 novembro, 2006 19:10  
Blogger Ana said...

Tenho a certeza que para o teu filho a presenca da avo toda orgulhosa na plateia foi muito importante.
E triste os pais deixarem de estar presentes em momentos tao importantes para as criancas, mas a vida nem sempre e facil.
Beijinhos,bom fim de semana.

10 novembro, 2006 19:43  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home