segunda-feira, 20 de novembro de 2006


Sou casada por igreja.
Nunca pensei sequer num casamento que assim não fosse.
Não porque vá á missa todos os Domingos ou reze o terço todos os dias. Eu nem sequer sei rezar o terço, sei apenas a Avé Maria, o Pai Nosso e a oração da benzedura de retrocido.
Mas para mim um casamento sem noiva não é nada.
Eu nunca me poderia casar sem ficar com um magnifico album de fotos, um poster para a parede da sala, uma cassete de video e um dvd.
Hoje a minha filha adora o meu vestido de noiva e quer que o guarde para ela.

Mas eu quero mais retratos e os meus meninos andam na catequese.
Primeiro porque eu acho que o que se lá faz ou diz não prejudica ninguem.
Acho que é importante ter uma noçãozinha de qualquer coisa ou algo a que se agarrar quando necessário.
Em último caso, se eles mais tarde se estiverem borrifando para tudo, o saber não acupa lugar e é bom sabermos um pouco de tudo.
Já sonho com os vestidos brancos e os "papilons". - Mas ainda faltam 4 e 5 anos.

Os meninos da catequese este Natal, vão cantar no coro da missa.
Adoro cântigos de igreja.
E nesse dia é para levarem uma prendinha embrulhada para a paróquia levar para os meninos pobres.
Um brinquedo usado que os meninos já não utilizem. - parece fácil mas não é.

Eu guardo tudo, tudo, tudo.
Tenho toda a roupa, todos os brinquedos, tudo, tudo, tudo.
Cada coisinha é um pedaço de vida, com se fosse uma página de um livro. Testemunho de um momento, de um sentimento.
Ainda hoje tenho os meus brinquedos de quando era criança e algumas roupinhas de quando era bebé.
Tenho tentado transmitir isso aos meus filhos. Tenho tentado ensinar a amar e estimar as coisas. Mas quando se tem tanta fartura (eu tinha muito menos), pode não ser assim tão fácil.

Nesse dia á noite deitei a menina e fui para baixo. Mal coloquei o receptor do intercomunicador na ficha ouvi:
_Mamã, mamããããã.
Corri escada acima de alguidar na mão (no dia anterior tinha vomitado a cama toda).
Estava sentada na cama de lagriminhas nos olhos.
_Mamã queria dizer-te uma coisa antes de dormir
_O quê filha?

_Eu não quero dar os meus brinquedos usados aos pobrezinhos, eu gosto de todos...
_(...)!
_Não podemos compar um, especial para eles?

Será que eu estou a exagerar?
Será que não estou a transmitir amor desnecessário?
Se eu não fosse assim não teria hoje uma cave enorme "cheia de lixo".
Mas é aquele "lixo" que eu adoro.
Seria como deitar fora tantas recordações, tantas coisas lindas.
Não sou capaz!
Não! Não sou capaz!

6 Comments:

Blogger Ana said...

Eu sou o oposto, dou tudo, brinquedos, roupas quase novas, e sei la o que mais.
Deste-me uma ideia de escrever sobre isso no meu blog.
Como tu, conheco muitas maes que guardam tudo dos filhos mas como eu ha poucas aquelas que dao todas as recordacoes, isto sera o que? Nao ser sentimental, romantica..eu nao sei...mas ja me teem criticado por isso,claro eu defendo-me mas depois fico a pensar sera que isto eh normal?

20 novembro, 2006 13:53  
Blogger Isália said...

também uma coisa é certa...se formos guardar tudo, mais logo não temos sitio onde colocar nada...A unica soluçao é guardar os mais especiais...é claro que todos sao especiais, mas ha sempre um mais do que outro. beijos

20 novembro, 2006 16:37  
Blogger Patricia said...

Eu também sou assim... guardo tudo, acho que vou precisar um dia. Tenho os meus livros da escola todos guardados e agora já não tenho espaço para eles! Quando era pequena estragava todos os brinquedos e nunca guardei nada, da minha infância tenho 2 brinquedos (e um deles está gravemente "ferido"). Um dia fartei-me de tudo quanto tinha lá em casa e dei 3 sacos (do género daqueles do lixo, pretos) cheios de bonecos de peluche para o Refúgio Aboim Ascensão.
beijos*

20 novembro, 2006 17:06  
Blogger mariavicente said...

acho q estás certissima mama, tudo são recordações. eu não tenho nada de quando era pequena nem sequer fotos para ver como era. a única coisa que sobreviveu foi a vestido de batizado, que foi da minha irma e depois meu e agora para a minha Patuxa.
um dia dei os meus livros da Anita a uma prima, até hoje arrependo-me amargamente.
com as coisas da minha filha nem sei q faça, se dê, se empreste se guarde.
bjs e tudo de bom e vou ver se faço o desafio.

20 novembro, 2006 17:28  
Blogger Miguel said...

Todos nós temos mais ou menos gosto pelas nossas coisas mas temos que pensar que as nossas roupas e outros objectos poderão fazer falta a outras pessoas!

Eu sei que são recordações e na maioria dos casos, boas recordações!

Mas a tua filha está no caminho certo! È sinal de uma boa educação!

Uma Boa semana!
Bjks da Matilde e cª!

20 novembro, 2006 18:50  
Blogger Sandra J. said...

Eu também guardo muita coisa, talvez demais e o meu marido também implica com o "lixo". O meu filho também guarda mas quando se estraga não se importa de por no lixo. Agora dar a quem não tem também me pede para comprar porque os dele são todos especiais para ele. ;)
Bjs

21 novembro, 2006 09:46  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home