segunda-feira, 28 de julho de 2008

Ouvido de passagem


O menino falava com o pai enquanto se passeava na loja pela rua das prateleiras dos brinquedos de meninos – nas lojas chinesas estas prateleiras encontram-se sempre bem povoadas daqueles brinquedos que nos últimos anos teem escasseado bastante no mercado: pistolas, espingardas, espadas e afins.

"- Quero ête, quero ête, quero ête"
"- Esse não, esse é dos homens feios, e maus"
"- Eu já sou feio"
"- Não és nada feio. Não és nada feio que eu não quero que sejas feio."


Instintivamente olhei para o menino a fim de confirmar a sua beleza.
E não era feio pois não, era tão bonito quanto pode ser uma criança de talvez 4 anos com um bonequito de peluche debaixo do braço.

Eu também não quero que o meu menino seja feio, mas não consegui evitar que surgisse no meio dos seus brinquedos uma “pitola”. O papá também tem uma para “assustar os ladões”.
E é aqui que “bate” a questão:
Brinquedos violentos, permitir livremente, proibir ou ensinar a utilizar com os cuidados a ter como se fossem verdadeiros?

Será que a proibição total não irá fazer com que o desejo de ter vá avivando cada dia que passa, até chegar a tal idade perigosa?
E aí... o fascínio é tal que já não se prende a brinquedos e... as verdadeiras, poderosas, com capacidade de “eu quero e assim será”... algumas são mesmo autenticas obras de arte.
Eu as aprecio pela sua beleza, tenho orgulho em ter boa pontaria (atirar com pressão de ar em caixa de fósforos foi tudo o que fiz, mas não interessa, acertei e isso é que vale), mas... e o meu filho como será?

Tenho medo de armas.

15 Comments:

Blogger Patrícia said...

Se há "brinquedo" que eles nunca hão-de receber de mim, são armas ou outro relacionado com o mesmo!
E se houver alguém que lhes dê, de certeza que vou esconder ou deitar fora.
Lá em casa, não entram coisas dessa natureza.

Bjs

30 julho, 2008 14:05  
Blogger Carina M said...

Ora aí está umas quest~~ao que nunca pensei muito a sério uma vez que tenho uma menina e ela tudo que seja brinquedo de rapaz não liga, apenas acha piada a um carrinho ou outro.
Por isso nem digo nem desdigo.
Bjs

30 julho, 2008 16:04  
Blogger Omeupititxoco said...

O meu, por enquanto, ainda não foi para este campo, anda numa de vacas, cavalos e escavadoras...mas é uma questão deveras pertinente... eu detesto armas...vemos o que poder tê-las de forma tão "normal" tem causado em vários países... mas tb não concordo com a simples proibição,posso vir a mudar muito, mas gostava de ir esclarecendo o Miguel para certos aspectos e não ficar só no: "Deus queira que não lhe dê p'ra isso!"
É a tal coisa não os podemos proteger de tudo, mas podemos tentar que o livre arbítrio deles seja um bocadinho influenciado pela nossa educação.
Beijos***

30 julho, 2008 18:53  
Anonymous albana said...

ola,estou a comentar pala 1ºvez apesar de vir cuscar mta vezes.Adoro a maneira como escreve,foi para mim um incentivo na criação do meu blog,com apenas 2dias, ainda é bébé mas vai crescer devagarinho...Eu sou do tempo em que os meninos brincavam aos policias e ladrões, indios e cowboys e garanto,os meus amigos e conhecidos ñ são psicopatas/criminosos...tem que haver outros disturbios, será k vem nos genes???
bjinho
albana

31 julho, 2008 13:03  
Blogger maria-joão said...

ALBANA

Então e esse "bebezinho de dois dias"? É privado ou pode-se por lá passar? Adoro ver crescer bloguitos desde o inicio!

31 julho, 2008 16:34  
Blogger a mãe dos reguilas said...

eu detesto armas -mesmo as de brincar acho estupido fazerem um brinquedo destes-mas tb acho que quanto mais se pruibe.....ele ainda está numa idade que gosta mesmo é de carros e de tractores e bolas-aliás nunca parei para pensar que fosse um brinquedo a ter lá pro casa-mas se gostarem até os dedos em posição correcta farão uma boa arma- acho que tudo passa pro lhes ir tentando explicar as coisas-eu que sempre fui maria rapaz tb cheguei a brincar aos policia se ladroes(com os deditos )

31 julho, 2008 17:03  
Blogger APO (Bem-Trapilho) said...

pois, lá está! o equilibrio é sempre o melhor caminho, lá dizem os budistas e com muita razao! nós em crianças tb víamos de tudo e brincavamos com tudo! eu por exemplo, era vidrada em pistolas. lembro-me do unico brinquedo que eu pedi ao meu pai quando ele trabalhava na Madeira, foi que me trouxesse uma pistola. e lá veio ele todo satisfeito com um revolver de fulminantes parecidissimo com os reais, embora antigos (nem sei como passou no aeroporto!!!), que até fazia um barulhao e deitava fumo quando disparava... adorei e brinquei tanto com ele. no entanto lembro-me perfeitamente de ter sempre a noção que os verdadeiros eram perigosos pois podiam matar de verdade. Às vezes penso que só os americanos mesmo é que nao entendem isto!!!
bem mas agora que reparo nas horas vejo que já devia estar na cama!!! :) é verdade!

bem, o que eu queria mesmo era pedir desculpa pela minha demora em visitar-te! mas ando muito atarefada. fui hj montar a minha exposição e tenho que preparar o workshop que vou dar no dia 9. ando a mil! :)

e já postei a minha peça de fusing lá no bom feeling. queres ver?

bjinhos! :)

01 agosto, 2008 00:59  
Anonymous albana said...

bom dia
claro que ñ é privado, eu é k ainda sou mt maçarica, ñ sei bem como se fazem certas coisas... vamos la ver se acerto

http://albana-maisumdia.blogspot.com/
bjinho
albana

01 agosto, 2008 08:34  
Blogger Joana Peixinho said...

É verdade Maria joao, tenho 24 anos e é uma felicidade enorme ter os meus avós cmg! =) e desejo que seja por mts anos!!! =)

Eu sou literalmente CONTRA esses brinquedos...

Bom fim-de-semana!

02 agosto, 2008 16:59  
Blogger olharbiju said...

Olá amiga.
Como sempre um texto que nos fáz pensar.
Sabes,tb fui sempre contra esse tipo de brinquedos.O meu receio era que ficassem cativados para as armas, carros de combate,etc! Mas nos aniversários ou Natal havia sempre quem oferecesse este tipo de brinquedos.
Sempre lhes expliquei os valores da vida e a maldade dos homens.
Mas faço a mesma pergunta que tu fazes...quando são maiores não terão curiosidade plas verdadeiras?
Os meus filhos já são adultos. Veremos quando houver netos.
Um grande xi-coração

04 agosto, 2008 13:11  
Blogger Eu e Tu...Relatos nossos.. said...

POis aqui está uma questão que tantas vezes eu penso nela...tb sou contra armas e violência, mas não digo de pés juntos que o meu filho nunca o terá, e se alguém lhe der a deito fora ou escondo, axo k o fruto proibido é o mais apetecido, evitei imenso dar-lhe esse tipo de coisas, mas chegou o carnaval e com ele os fatos de zorros onde um dos instrumentos era as espadas, depois vem os jogos palystation, qye com eles trazem tipo pistolas, não que eu os tenha, mas os sobrinhos tem e ele já jogou com eles...enfim...embora não concorde nunca digo...desta água não beberei...irei sim sempre lhe mostrar õ perigo que essas coisa tem, ensinar-lhe que é perigoso, irie fazer o melhor que saberei fazer...educá-lo....muitos beijinhus

05 agosto, 2008 10:00  
Blogger albana said...

ola
obrigado por visitares o meu cantinho...
a receita dos crepes faço a olho, o chocolate em pó derreto assim: depende da quantidade k se quer mas mais/menos 2 colheres de sopa de manteiga ou margarina, derreto no microondas durante uns segundos e só depois vou juntando o chocolate em pó até a consistencia desejada...facil?
bjinho
albana

05 agosto, 2008 13:38  
Blogger Patricia said...

Eu sempre achei que o "fruto proibido" é sempre o mais "apetecido". Assim, acho que cabe aos pais ensinar as crianças a brincar, explicando a perigosidade, digo eu!

bjs

05 agosto, 2008 20:42  
Blogger Solecnocsav said...

Esses tipos de brinquedos sõa muito violentos....

Boa Noite!

Bjs

06 agosto, 2008 02:48  
Blogger turbolenta said...

Ora aí é que está o verdadeiro perigo. O pai é um DEus para o filho e ele quer imitá-lo em tudo. Por isso: se o pai tem....ele quer ter!

06 agosto, 2008 20:04  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home